terça-feira, 8 de junho de 2010

Vitória X Atlético PR (filme novo de Xurec)

Saí tarde do trabalho, porém, já sabia que seria assim e por isso meu pai não quis ir comigo ao Barradão.
– Eu que não vou pra chegar lá no meio do primeiro tempo – disse ele.
Quem dera eu chegar no meio do primeiro tempo... Quando eu cheguei, os dois times já estavam dentro dos vestiários.
– Sorte sua, foi um dos piores “primeiro tempo” que eu já vi. O Vitória tá péssimo – me disse um torcedor.
O burburinho era sobre o meia Ramon, que estava mal, sem criar e sem marcar...
– Tá sem ritmo, parado há muito tempo – dizia um.
– Tá velho – dizia outro.
– Se tá sem ritmo ou se tá velho não importa, o que importa é que o Vitória tem de contratar jogador... E urgente – disse um terceiro.

Fui procurar um lugar pra ficar e filmar os lances quando me lembrei da senhora do jogo passado, contra o outro Atlético, o mineiro. A encontrei, porém, onde ela estava tinha muita gente e não conseguiria boas imagens. Desci mais e me posicionei na frente de um pai que estava com sua filha. Ele na faixa dos 45, ela na faixa dos 10.

– O Vitória tá horrível – disse ela, me dando as boas vindas.
Começou o segundo tempo. O Vitória horrível veio pra cima com vontade e quase marcou, mas num contra-ataque quase tomou um gol.
– Devia ter tomado, pra tomar vergonha e acordar – disse a torcedora mirim.
– Fale isso, não... Se fazer um gol tá difícil, imagine dois – disse eu pra ela.
Como estávamos perto do alambrado, ela descia, colava nele e voltava com informações, como se tivesse visto o jogo de um ângulo exclusivo.
– Ramon tá podre, tem que colocar Renan Oliveira e Schwenck. Será que ele não percebe que o ataque é Júnior e Schwenck?
Boa pergunta.
O tempo passava, o Vitória tentava, mas o jogo continuava empatado. Elkerson era o cara. Armava as jogadas, chutava, marcava, mas a bola não entrava. O empate seria um péssimo resultado em casa.
Do lado de lá, Viáfara fazia seus milagres de cada jogo, nos deixando pensar ás vezes que tinha coisas pior que um empate.
– Se fosse Vinícius era gol – disse o pai da menina.

Ricardo Silva resolveu mudar. Tirou Ramon e colocou Renan Oliveira. Na saída de campo, Ramon foi aplaudido, o que achei uma atitude inteligente da torcida, apesar de alguns (poucos) aloprados o vaiarem. O cara já salvou o time infinitas vezes, pode decidir qualquer jogo, mas ainda assim não é suficiente. Ele tá mal, sem ritmo, mas vaiar Ramon é, pra mim, lastimável.

Ricardo Silve resolveu mudar de novo e, finalmente, colocou Schwenck, autor de três dos quatro gols contra a galinha de Minas Gerais.
Resolvi também mudar e fui ficar atrás do gol do Atlético Paranaense, onde o goleiro Neto era xingado por todos pelas excessivas ceras que fazia. Pra bater um tiro de meta era uma lentidão da porra. E o sacana do juiz não fazia nada.
– Bate logo essa porra, seu filho de uma prostitua com um padre pedófilo – disse um.

Mas o Vitória teve uma falta a seu favor. A bola seria jogada na área. Elkerson bateu e no meio do empurra-empurra Schwenck subiu mais que o zagueiro baixinho que o marcava. Antes da bola entrar, um cara do meu lado disse “gol de Schwenck”. Profecia realizada. Vitória um a zero.
O goleiro atleticano chiou, brigou com a zaga, chutou a grama, a trave, ouviu foi coisa dos torcedores e passou a cobrar tiro de meta com uma velocidade inacreditável.

No final, o Atlético quase fez o gol de empate, o que seria um resultado deprimente, mas o melhor goleiro do Brasil estava em campo. É incrível o que esse cara consegue fazer. Antes de entrar em campo ainda deu uma entrevista de arrepiar:
– Viáfara, você que ficou de fora desses últimos jogos, quando você assiste as partidas você se envolve? – perguntou o repórter.
– Você tem que entender uma coisa: eu não sou só um atleta do Vitória; eu sou, sobretudo, um torcedor do Vitória – disse ele, com seu clássico sotaque.
Realmente é uma pena eu não filmar os feitos desse cara nos gramados.

Para ver o vídeo dessa partida clique aqui.

4 comentários:

Borba disse...

Viáfara tem que estar jogando pra fechar a mística sobrenatural que faz o Vitória brocar todo mundo sem tomar gols no Barradas.

Artur disse...

Mais um post sensacional!! Parabéns!!!

Agora me diga uma coisa, você faz anotações na hora do jogo, observações.. ou vai fazendo o texto depois de acordo com o que vc lembra??

Abração e é isso aí!! Só evoluindo nos posts.

Anônimo disse...

Meu irmão, bem vindo ao mundo virtual. Gostei deste blog, das suas imagens, e dos comentários impagáveis dos torcedores

"essa bosta toda..." disse...

Viafara agarrará muito em qualquer jogo contra seu ex clube. ano passado lá no paraná onde ganhamos ele fez defesas contra todas as leis da física.

quem sabe ele não vai comer um kibe?
http://twitter.com/viafaraoficial